Tuesday, July 03, 2007

b.i.

o meu b.i, expirou há mais de um mês; ainda não fiz a ponta de um corno para o renovar. não me apetece.
hoje decidi que iria arrumar algumas coisas, in and out: finalmente ir às finanças para tratar da porcaria dos imis em atraso e conceber o plano de pagamento faseado (done), limpar e arrumar o quarto (parcialmente done: a roupa de cama foi mudada, aspirar fica para outro dia, quando a sinusite mo permitir, arrumar a bagunça na secretária e no estirador foi tarefa, uma vez mais, adiada porque a falta de paciência me impediu), opto, para compensar a inconclusão da tarefa anterior, por inventar, e cumprir, uma outra tarefa não prevista: lavar ténis, mochilas e tapetes do quarto (done, a máquina acabou de o fazer), estender (tarefa ainda não cumprida). por ora fica adiada outra tarefa cuja importância, não apenas de hoje mas de há muito tempo para cá é para mim inegável: voltar a mergulhar em "malos aires", o romance que venho a escrever há dois anos. esta tarefa fica, quer parecer-me, por hoje, adiada. opto por regressar ao meu diário, que nestes últimos meses tem sido bastante relegado para um plano pouco classificável e pouco recomendável.
a decisão deste regresso ocorreu-me enquanto andava nesta onda de lavagens e, parciais, limpezas.
numa das playlists do iTunes regresso aos The Killers, ocorre a regressão. há dois anos atrás estava completamente fascinado pelas belas composições destes senhores. e este regresso, imprevisto, hoje fez-me querer voltar ao meu diário. cobriu-me de nostalgia. não que há dois anos atrás seja um tempo que me seja particularmente grato e fácil recordar. a ansiedade é quase a mesma, a insatisfação também, a apreensão é agora maior.
recordo-me de há dois anos andar pelas ruas a ouvir "Somebody Told Me" e "All These Things That I Have Done" aos berros nos headphones e isso me ajudar a atenuar a ansiedade. lembro-me também que quando ouvia a segunda canção que referi ter uma irreprimível vontade de começar a correr pelas ruas sem rumo certo; a recordação que tenho é de ter vontade de correr horas, dias a fio. imaginava, então, o início de um filme em que um homem corre por lisboa desenfreadamente. um homem que corre mas que não foge. um homem que corre porque não se pode dar ao luxo de parar (ao mesmo tempo que se ouve a canção que enunciei). eu conseguia ver a indiferença que era devotada, pelos outros transeuntes, ao corredor; como se fosse normal. o homem apenas tinha uma única intenção: correr tão velozmente que a velocidade conseguida lhe possibilitasse entrar numa outra dimensão, onde correr não fosse necessário. onde correr fosse absurdo. onde correr fosse impossível.
All These Things That I've Done

When there's nowhere else to run
Is there room for one more son
One more son
If you can hold on
If you can hold on, hold on
I wanna stand up, I wanna let go
You know, you know - no you don't, you don't
I wanna shine on in the hearts of men
I wanna mean it from the back of my broken hand
Another head aches, another heart breaks
I am so much older than I can take
And my affection, well it comes and goes
I need direction to perfection, no no no no
Help me out
Yeah, you know you got to help me out
Yeah, oh don't you put me on the back burner
You know you got to help me out
And when there's nowhere else to run
Is there room for one more son
These changes ain't changing me
The gold-hearted boy I used to be
Yeah, you know you got to help me out
Yeah, oh don't you put me on the back burner
You know you got to help me out
You're gonna bring yourself down
Yeah, you're gonna bring yourself down
Yeah, you're gonna bring yourself down
[x10]
I got soul, but I'm not a soldier
I got soul, but I'm not a soldier
Yeah, you know you got to help me out
Yeah, oh don't you put me on the back burner
You know you got to help me out
You're gonna bring yourself down
You're gonna bring yourself down
Yeah, oh don't you put me on the back burner
You're gonna bring yourself down
Yeah, you're gonna bring yourself down
Over and in, last call for sin
While everyone's lost, the battle is won
With all these things that I've done
All these things that I've done
If you can hold on
If you can hold on
(amanhã vou ao arquivo de identificação de lisboa. exigirei que no meu novo bilhete de identidade conste a letra que acabei de transcrever. i mean every word of it.)
continuo a correr, não a fugir.

2 comments:

nhua said...

Quando quiseres vir correr ate sintra... és sempre bem vindo!!

pedropina said...

eu da ultima vez k renovei tentei k escrevessem PETER PAN mas nao consegui....