Friday, May 04, 2012

radiografia

intoxica-me e enjoa-me, tanto, esta coisinha do aqui, enjoado, estar.
venham guerras e cataclismos; salvem-me deste compromisso do início do mês começar.
a cabeça sempre a prémio e eu não nasci para a tua folha de cálculo, meu cabrão.
não sou o teu tremoço de fim de tarde; nem a punheta que bates por fuga da tua vida ser.
não te sou;
às postas,
no relatório final do teu mensal saldo.
sou quem te arromba a cama e dela faz o finado.
fecha as janelas, a poça de sangue é minha.
o argumento é teu;
cinema?
volta ao início dos inícios e lá estarei monocular para te ver (aqui chegar).
as flores não nascem por ti;
as flores nascem porque, apenas, nascer sabem.



No comments: