Monday, December 15, 2008

quatro anos

querido diário:

este ano o teu autor foi, uma vez mais, uma besta desnaturada. fizeste quatro anos de existência no dia 08 de novembro e ainda não te congratulei. devo confessar-te que me apercebi disso há umas duas ou três semanas mas a preguiça e a tormenta emocional foram o principal impedimento desta iniciativa. mas, tu sabes, sou particularmente negligente nesta coisa das datas, até hoje não sei a data do aniversário do meu pai; mas isso é um fenómeno mais complexo que a mera negligência. será, concerteza, um índice mais do foro endógeno, que a psicanálise conseguirá descortinar. adiante, não farei promessas de te compensar imensamente pela minha falta, nem irei desfazer-me em lamentos e desculpas. as coisas surgem no tempo em que têm de surgir. esta iniciativa surgiu agora e fi-la com a melhor das vontades. dá-te por contente por isso.
asseguro-te, no entanto, que gostaria de te fazer crescer mais, de te dar volume, substância, matéria. não prometo fazê-lo, prometo trabalhar essa vontade.
os meus parabéns.
prometo-te uma coisa, quando fizeres cinco anos terás direito a uma grande festa de aniversário. com balões, confétis, dj set, bolo, velas e tudo. tudo menos palhaços profissionais, odeio palhaços profissionais. faremos nós a palhaçada, como sempre, como bons palhaços amadores que somos.
ah, e faremos um brinde.

1 comment:

HOJE said...

bem, ja sei a quem vai calhar o dj set (será um prazer)--- e o brinde! ;)