Wednesday, February 27, 2008

apenas jardim- diálogo: menina bonsai e perchista do pensamento

Perchista do Pensamento
É curiosa e surpreendente a sua explicação. A sua primeira quadra apresenta um significativo volte-face na concepção que a literatura habitualmente nos dá das distopias. É como se se desse uma inversão da forma.

Menina Bonsai
Sim, a inversão está apenas na forma. Nem será exactamente uma inversão; será um apuramento, um reajuste da forma. O conteúdo, esse, manter-se-á intacto.

Perchista do Pensamento
Sim, o conteúdo sim; o controle, a repressão, o condicionamento, a massificação e a anulação do indivíduo estão certamente presentes.

Menina Bonsai
Sim, estão presentes; estão no presente. É por isso, que tão claramente, estarão no futuro. A distopia não é apenas fantasia da literatura e do cinema. É, para alguns, ainda uma vaga e indefinida presença no presente mas uma certeza no futuro.

Perchista do Pensamento
Se o George Orwell soubesse que se enganou apenas nas dimensões do brother certamente iria rir-se muito. Mal sabia ele que no futuro, segundo a sua quadra, o indivíduo não é controlado pelo Big Brother mas pelo Smaller Brother. (ri-se)

Menina Bonsai
Na verdade, o que ele define como Big Brother não deixa de existir. O Big Brother terá apenas outro nome: Uno Tenore. O Smaller Brother, como lhe chama, ou Smaller Brothers, pois serão imensos, não passarão de instrumentos de controlo desse Uno Tenore.

Perchista do Pensamento
Mas, diga-me uma coisa, essas crianças serão criaturas biónicas, simulacros de seres humanos pequenos? É isso? Ou serão seres humanos normais? Vão crescer, por exemplo?

Menina Bonsai
Serão seres humanos perfeitamente normais. Na verdade, muito poucas criaturas serão biónicas, porque as criaturas biónicas servirão para tarefas específicas. Terão poderes particulares que não serão acessíveis ao comum mortal. E, sim, essas crianças, esses instrumentos de controlo, irão crescer e tornar-se igualmente obreiros. A capacidade de controlo e supervisão ir-se-á diluir ao longo da puberdade e da adolescência, para que, chegada a idade adulta, essas crianças se tornem obreiros incorruptíveis. É claro que todo este processo é feito de forma gradual e será apurado geração após geração. Chegará uma altura, num futuro não muito distante, após a guerra entre miúdos e graúdos, em que toda a gente será obrigada a procriar. E à nascença cada indivíduo é formatado, injectado com Uno Gnôsis, para que se torne um detector de desvios. Em apenas três gerações toda a população será obreira.

Perchista do Pensamento
Está mesmo convencida disso?

Menina Bonsai
Plenamente. Esta é uma parte do futuro, totalmente inscrita no presente. Basta olhar para as crianças de agora, ou melhor, para as relações que temos com as crianças de agora. Para a forma como lidamos com elas, como as formatamos, como as defendemos e ofendemos. Basta, também, olhar para nós, para a nossa credulidade, para o nosso alheamento, para a nossa inércia. Basta ler o presente.

Perchista do Pensamento
Deve ser muito ingrato ser-se, como a menina, uma espécie de oráculo, profeta.

Menina Bonsai
(rindo-se) Não sou profeta, muito menos um oráculo. Não tenho qualquer convergência com a divindade. Se quer que lhe diga, nem acredito no divino. Sou talvez visionária. Melhor do que isso, sou uma leitora atenta e assertiva, de tudo. Sabe qual é o meu nome?

Perchista do Pensamento
Não, ainda não. Ainda não necessitei de saber.

Menina Bonsai
Bonsai, Menina Bonsai. Represento a visão.


Perchista do Pensamento
Sim, isso eu já tinha percebido. Já tinha percebido que a menina era a visão. Agora Bonsai…

Menina Bonsai

Comecei a tremer muito cedo, sabe!? E quando isso aconte…

Perchista do Pensamento
(interrompendo-a) Segundo o René Chár é preciso tremer para crescer.

Menina Bonsai
Oh, também conhece René Chár?

Perchista do Pensamento
Aqui todos conhecemos René Chár.
Este fanático das nuvens

Mulher do Chapéu
Tem o poder sobrenatural

Apenas Maria
De deslocar para distâncias consideráveis

Menina Bonsai
As paisagens habituais.

Perchista do Pensamento
Começou, então, a tremer muito cedo? Isso quer dizer que começou a crescer muito cedo?

Menina Bonsai
Sim, em criança era portadora de crescimento precoce. Um dia equivalia para mim a uma semana. Esse crescimento precoce era mais interior do que exterior, apesar de também acontecer no exterior. Não era envelhecimento precoce, como acontece a quem padece de progeria. Eu crescia muito velozmente, apenas isso. Assimilava tudo muito rápida e assertivamente. O que se passou foi que eu amadureci muito cedo e passei a ver o mundo distintamente quando era ainda muito pequena. Percebi o mundo de rajada e isso passou a aterrorizar-me. Forcei-me então a crescer pouco e mais lentamente. Quase como o Oskar, a personagem central de “O Tambor”, de Günter Grass. Mas Oskar conseguiu deixar de crescer; eu não. Apenas alterei a forma de crescer. Sobretudo aqui; este jardim possibilitou-me isso. Mas, por agora, não me apetece falar mais de mim. Estou cansada. Estou turva e desfocada. Vou fechar os olhos. Fale-me de si, nunca o ouvi falar de si. Faça por mostrar-se, tenho os olhos bem fechados e agora não posso vê-lo. Deixe-me ouvi-lo ser.


Perchista do Pensmento
Eu, tal como a menina, também estou muito cansado. Sinto-me exausto, mesmo. Estou completamente esgotado e quase prestes a desistir. Não sei se continuarei a vir a este jardim. O que aqui descobri parece ter-se dissolvido e não consigo evitar questionar-me se continua a valer a pena vir e estar aqui. O cansaço parece ter tomado conta do jardim. O cansaço e o esgotamento abateram-se sobre nós.

Menina Bonsai
(alheada, exausta) É verdade. Sim, isso é verdade.

No comments: