Wednesday, November 02, 2005

ontologia 1

não fujo, corro;
boca desperta, mãos mais ou menos competentes, pés mais ou menos assentes, na bífida linha do tempo.
não fujo, corro;
estou aqui. aqui por mim, enquanto a minha cabeça não se extinguir e equanto houver quem queira ver-me partir e chegar dos meus périplos pelas orgias das palavras.
não fujo, corro;
vicioso e furioso, sou assim, o lascivo e cinético praticante da minha própria heterodoxia.
não fujo, corro;
rasgo o interstício entre a luz e a escuridão para poder acordar nuns braços que cheirem a carne acabada de queimar pelo suor que nasce a dois.
não fujo, corro;
procuro notícias de mim, penso-me durante, escrevo-me depois, morro-me ontem.
não fujo, corro;
nasço-me em cada passo que dou, endureço-me na constância da passada, trabalho-me na corrida: a minha obra é uma ejaculação pensada da vida.

No comments: