Thursday, June 30, 2005

hoje

no net at home.
tenho muitas saudades do meu diário. nem sei o que nele hei-de escrever. instalou-se aquele desconforto tímido que me é característico aquando das ausências.
estou no escritório do alexandre, o meu agente, mas ele não está cá. felizmente tenho pessoas que são boas e generosas comigo. o alexandre tem sido uma delas. um bom coração.

os amigos são um grande suporte. sempre. amo os meus amigos profundamente, essencialmente e insistentemente.

sinto que tenho a sorte de ter como amigos as pessoas mais sensíveis, inteligentes, brilhantes e complicadas que tenho conhecido. somos assim: uns dos outros no certo e no errado. somos uns dos outros e todos das falhas. cada vez tenho um maior respeito pelas falhas.

ando pouco amigo de mim mesmo. tenho estado pouco comigo. rodeio-me. raramente estou no meu "pequeno mundo de ficção interior". fico à porta do mesmo e não entro. acho que tenho medo de ter perdido a capacidade de me ficcionar. é por isso que não ando ligado ao meu "mundinho". estou em ligação permanente e ansiosa com o exterior. sinto que ao estar recolhido em mim estou sempre na eminência de perder alguma coisa que o exterior me possa fornecer e que me possa ser preciosa. é uma ilusão. crio esta ilusão para não entrar em mim. talvez porque eu próprio saiba que tenho vindo a perder a capacidade de criar ilusões para mim mesmo.

há uns tempos atrás percebi uma coisa:

na minha vida tudo é ao lado. não estou longe de estar lá; não estou perto de lá. estou ao lado de lá. ando à volta de mim.

faço 29 anos daqui a 10 dias. queria fazer já 30 anos. o astrólogo, no início de 2004, disse-me que aos 30 anos a minha vida vai mudar radicalmente e que vou finalmente entrar na assertividade e ascendência. disse-me que vou passar também, nessa altura, por uma revolução libidinosa. quero fazer uma elipse, avançar no tempo e deixar os 20 já. fingir que já vou fazer 30 não me agrada. mas também não quero um ano de limbo. tenho 10 dias para decidir quem vou ser durante este último ano desta atormentada década.

acho que me vou isolar e obrigar-me a entrar no meu "mundinho".

quem me dera ter dinheiro. apetecia-me muito fazer este regresso ao "meu pequeno mundo de ficção interior" em marrakesh. tenho muitas saudades de marrakesh. a cidade bela onde me senti melhor em toda a minha vida. marrakesh a cidade vermelha. marrakesh a cidade erótica. prometo que é lá que vou fazer 30 anos. nem que o camelo tussa.

No comments: