Wednesday, February 16, 2005

o demónio/artista/amante melhor ou a arte de inventar 5 sonhos

Esgotadas as lutas, as querelas, as batalhas e as guerras; adormeci. Ganhar ou perder deixou de fazer sentido porque o sangue deixou de querer jorrar, as feridas deixaram de doer, ou até mesmo ocorrer, e o tempo passou a ser servo de si mesmo. O passado, o presente e o futuro são, agora e sempre, resíduos do devir sem qualquer tipo de expressão.
Acordei e sou um relógio saído de um quadro do Salvador Dali.
Não sei muito bem quais são os teus sonhos. Não sei se os tens, se os desenhas, escreves, elaboras, planeias, choras. Não me interessam os teus sonhos. Interessa-me, isso sim, inventá-los por ti. Decidi que vou ser um demónio/amante/artista melhor. Vou radicalizar a minha arte. E apresentas-te como um bom objecto; melhor: tu pareces ser uma soberba matéria-prima. Tens um nome comum, isso é bom, agrada-me. Tens um rosto normal, melhor ainda. Falas baixinho e sem pressas; óptimo. És muito diferente de mim; excelente. Estás aqui; magnífico. O resto a nós pertence; como já te disse o tempo está demasiado ocupado a fazer passar-se por mim.

Os Teus 5 Principais Sonhos

  1. Tu não gostas do calor e sonhas viver num glaciar: eu sou um cubo de gelo em franca expansão.
  2. Tu tens medo da luz e sonhas isolar-te num deserto de escuridão: eu chamo-me Anã Negra e sou uma estrela extinta.
  3. Tu não gostas de acordar e sonhas nunca sair da cama: eu sou a lei da gravidade.
  4. Tu não precisas de viajar e sonhas com países que não vais conhecer: eu sou o Atlas do Mundo.
  5. Tu não queres sofrer de amor e sonhas não ter coração: eu sou o enfarte agudo do teu miocárdio.

Vamos ver se te adaptas a estes cinco sonhos. Se a experiência for frutífera outra série de cinco se seguirá, e assim consecutivamente. Se a experiência não se revelar interessante passas a ser mais um esboço no meu quarto. A arte tem destes riscos: nem sempre se acerta logo à primeira.

Agora que és livre, sonha. Eu vou inventar pesadelos para mim.

Quando acordarmos de vez quero abraçar-te com força e silêncio. E quero ouvir-te dizer:

"A TUA ARTE DIVERTE-ME E O RELÓGIO NÃO PÁRA!"

1 comment:

Anonymous said...

Os meus sonhos são tão simples quanto o significado da mesma palavra. Simples. Sonhos simples que nunca passaram de ilusões e nas quais me refugio para estupidificar os meus receios. Medos. O medo consome-me... mas não devo ter medo! O medo destrói tudo. És um amigo muito curioso, não digo especial porque sei que detestas a palavra especial.

Aceito o teu desafio na condição de viveres os meus sonhos e não os teus pesadelos.

Eu tenho um anjo,anjo da guarda
Que me protege de noite e de dia
Eu não o vejo, eu não o ouço
Mas sinto sempre a sua companhia

.......................

Usa uma luz com que ilumina a minha vida.

Um beijo curioso